Design Thinking · Institute of Design

Design Thinking na ótica do Institute of Design

Essa matriz 2×2 ao lado é uma representação da abordagem de Design utilizada pelo Institute of Design. No eixo X (horizontal), você vê uma perspectiva que vai do entendimento à realização e no eixo Y (vertical), você vê uma perspectiva que vai do real ao abstrato.

Seguindo a lógica da matriz, todo projeto começa com uma boa definição do problema ou oportunidade (FRAME).

Com base nesse problema, partimos para uma ampla exploração a respeito das fronteiras desse problema/oportunidade (RESEARCH). Nesse ponto ainda estamos em um ambiente muito mais de exploração e entendimento do mundo como ele é.

De posse dos resultados dessa pesquisa, partimos para um campo muito mais abstrato de busca de sentido nas observações e informações que coletamos durante a fase de pesquisa. A essa disciplina, damos o nome de ANALYSIS. O resultado final típico de uma etapa de análise são insights e áreas de oportunidade para trabalharmos.

Com base nos insights e áreas de oportunidades, ainda em um ambiente abstrato mas mais próximo da realização, começamos a criar e explorar hipóteses de solução para o problema/oportunidade. A essa etapa, damos o nome de SYNTHESIS.

O resultado da síntese, em geral, são conceitos e padrões a serem prototipados e explorados na fase seguinte de prototipagem (PROTOTYPE). Nessa fase, voltamos ao mundo real e tentamos aplicar os conceitos, na prática, através da prototipação dos produtos, serviços, experiências e estratégias ligadas às soluções criadas. A idéia principal do protótipo não é dar uma visão refinada e final do produto/serviço, mas sim, ajudar a tangibilizar a idéia de uma forma simples e rápida que nos ajude a ter certeza de que estamos no caminho certo ou que nos traga novos inputs para um ajuste na rota de nosso projeto.

De maneira geral, esse framework não é muito diferente de outros modelos que vemos as consultorias de design aplicarem. O que acho interessante da forma como o Institute of Design apresenta esse modelo, é que ele dá uma idéia de iteratividade, e não de um processo linear com começo, meio e fim, representando de uma forma simples e clara o pensamento de design (Design Thinking).

Anúncios

6 comentários em “Design Thinking na ótica do Institute of Design

  1. Olá Jose Mello,
    Primeiro gostaria de dar parabens pelo blog….gostaria de fazer um pedido….poderia detalhar a matriz…com os tipos de ferramentas e metodologias usadas pelo Institute of Design….por exemplo, no FRAME, como ter uma boa definição do problema? Gostaria de saber como o ID trabalha cada ponto da matriz… como você falou que gostou do modelo por dar uma idéia de iteratividade, como é trabalhado isso na matriz?

    Obrigado e parabens de novo!

    Allan Moura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s